Como adaptar os ambientes, social e de trabalho, à nova realidade. Combinar o teletrabalho com o escritório tradicional ou garantir a segurança e a saúde nos espaços de coworking e lazer são alguns dos problemas que mais preocupam quando se fala em ‘de volta ao novo normal’.A transformação vivida no dia-a-dia de empresas, trabalhadores e indivíduos revelou um processo de mudança social que apenas começou. O teletrabalho, motivado pela atual crise da saúde, é o primeiro passo para uma profunda reconfiguração dos modelos de trabalho e, portanto, dos espaços que os abrigam. Espaços abertos até recentemente massivos, agora ocupados por posições individuais que respeitam a distância de segurança; Salas de reuniões, eventos ou conferências, que limitam sua capacidade ou são convertidas em zonas operacionais ‘seguras’, são alguns dos exemplos dessa transformação.A capacidade de reinventar e adaptar esses ambientes, de design, móveis e decoração a novas necessidades, é fundamental. Embora a priori as áreas de trabalho abertas com muitos escritórios e espaços de coworking possam se tornar possíveis fontes de infecção, existem muitas medidas para evitá-lo. Delimitar a capacidade, indicar a distância mínima ou separar ambientes com soluções como os painéis Link versáteis e configuráveis ​​ou as divisórias de proteção de metacrilato e vidro que a Actiu acaba de incorporar ao seu catálogo, são algumas das propostas para melhorar a segurança dos profissionais e clientes.